We don't even have to try, it's always a good time...

De novo as incríveis expectativas. De novo. Pensei que eu tinha aprendido, mas a verdade é que a gente só deixa guardadinho dentro do baú pra quando precisar usar novamente. E aqui estamos nós. Construindo as expectativas novamente. Repassando as conversas mentalmente. Relembrando os jantares divertidos, engraçados e amistosos. E tudo isso para: nada! Que legal!

Mentira, não foi tão pra nada assim. Consegui dar um fim para aquela coisa chata que vinha me atormentando desde muito tempo... mas a verdade é que a gente só supera um amor com um novo amor, não é mesmo? E eu queria tanto, mas tanto que desse certo que eu nem sei explicar o quanto. Somos incrivelmente parecidos em milhares de coisas, mas também somos muito diferentes em algumas outras coisas e juntar tudo isso seria a coisa mais legal e divertida do mundo!

Não sei muito bem qual é a situação real da história, e acho que prefiro nem saber. Dói menos. Cria-se menos expectativa. Me avisaram pra ter paciência, que você quer dar o próximo passo, mas parece que não é real. Parece que alguma coisa mudou. E eu não estou sabendo o que é. Acho que é só falta de interesse mesmo. Bom, estarei por aqui esperando caso você mude de ideia e queira assumir algo maior.

A verdade é que a minha admiração por você não vai mudar por causa disso. Nunca. Você foi (e é) muito sensato. Pensou muito no que fazer e no que as suas ações iriam causar. Que maravilha. Alguém sensato nesse mundo, depois de todo o turbilhão de coisas ruins que passei. Acho que é por isso que comecei a gostar um pouquinho mais de você. Você é uma pessoa incrível. E, apesar de qualquer coisa, quero estar presente na sua vida. Seja como amiga ou como qualquer outra coisa. Temos uma conexão extraordinariamente forte. Fazia tempo que não encontrava alguém assim. E você mesmo me disse que eu te faço bem também e que você me ama. Eu sei que ama. Do mesmo jeito que eu te amo e que tenho um carinho enorme por você.

Obrigada por não ter dado nenhum passo de que se arrependa depois, mesmo que eu e você estivéssemos querendo muito. Só essa conexão e essa amizade que a gente criou já é maravilhosa. Prometo que não vou surtar e não vou te tratar diferente por as coisas não saírem do jeito que a gente queria. 

Ontem fui num casamento de uma amiga do colégio. Eu, como uma boa canceriana que sou, fiquei te imaginando no altar com seu terno e sua barba por fazer enquanto eu entrava com aquele vestido branco lindo pela igreja repleta de flores coloridas. Amor. É disso que sinto tanta falta. Amor real. Respeito. Companheirismo. Tudo o que parece que você tem pra oferecer, pena que talvez seja apenas para outra pessoa.

Por que as coisas tem que ser tão difíceis? Tem um montão de gente no mundo, mas parece que a gente quer aquelas que não estão disponíveis. Que inferno. Como assim? Tanta gente legal e solteira, mas não. Elas não me completam. Pra mim, tem que ter aquela pequena arte da conquista. De ficar sem saber se a pessoa quer ou não. De criar expectativas. De ganhar bombons com bilhetinhos durante o dia. De trocar olhares durante o almoço que talvez só a gente entenda. De lembrar de você elogiando os cachinhos do meu cabelo e me chamando de bellatix lestrange, De ficar feliz em saber que você sonhou comigo e que queria que eu estivesse ai pra dormir contigo.

O que eu posso e quero dizer é: eu quero que dê certo. Vou torcer e muito pra que você se decida e que tome a decisão mais sábia e correta, apesar de saber que ficar comigo é quase inviável depois do seu relacionamento de 10 anos....

Mesmo assim, obrigada por me mostrar que ainda existem homens (HOMENS!) bons nesse mundo e não somente um bando de meninos e crianças babacas. Obrigada por ter essa sensibilidade tão grande. Obrigada por me conhecer tão bem. Obrigada por ter me tirado daquele círculo vicioso louco. Obrigada por me mostrar que ainda sou essa pessoa incrível que batalhei pra ser. Obrigada por me respeitar e por não estragar tudo. Você é foda e eu te amo! <3


Eu te busquei, mas não vi teu rosto não...

Ai, amor
Será que tu divide a dor
Do teu peito cansado
Com alguém que não vai te sarar?

Os dias tem sido incríveis, sabia? É uma sensação tão boa crescer, aprender e viver coisas novas. Riscar os itens cumpridos da listinha de metas de 2018. Alguns nem estavam na lista, mas aproveitaram e foram cumpridos também! 

Tenho feito muitas coisas diferentes. Tenho vivido muitas novas sensações e experiências. Tenho me orgulhado de mim mesma. Principalmente por ser forte e aguentar toda a barra sozinha. Principalmente por não te incluir mais na minha vida. Principalmente por não chorar mais. Por saber ser inteira, apesar da saudade de ter alguém que bate as vezes (muitas vezes). 

Ao meu redor tem um milhão de pessoas boas, de ótimo coração, que me fazem feliz, que me oferecem seus melhores carinhos e seus melhores momentos. Que contam comigo e que deixam muito claro que eu posso contar com elas também. Isso me traz uma paz tão grande. Uma sensação tão grande de não estar sozinha nesse mundo gigante e louco e frio e insensato na maioria das vezes.

Muitas vezes eu sinto falta de compartilhar tudo isso com alguém um pouco mais íntimo. Com alguém que me entendesse. Com alguém que se importasse e se orgulhasse de mim. Sei que em algum tempo da vida eu vou achar isso. Essa pessoa que se encaixe em mim. Que tenha orgulho dos meus esforços e que me faça me esforçar ainda mais, buscando sempre a felicidade e que não me deixe fraquejar quando eu só quiser mesmo dormir e ficar quietinha no meu mundo...

Queria alguém me completasse. Que me fizesse inteira. Que me fizesse sorrir. Que fosse meu último pensamento ao dormir e meu primeiro pensamento ao acordar. Que fosse presente. Que fosse incrível. Que fosse verdadeiro. Que fosse fluido. Que fosse real. Que me satisfizesse. 

A verdade é que eu acho que já me machuquei tanto que eu tenho medo de começar todo o processo de novo. De me aproximar de alguém de novo com o coração aberto a novas possibilidades de amor. Medo. Medo de me machucar de novo. De gostar de novo. De amar de novo. De incluir outra pessoa na minha vida. De dividir minha vida com alguém. 

Medo de não achar alguém me complete. Medo de ficar com alguém só pra não ficar sozinha. Medo de gostar sozinha. Medo de ser sempre uma pessoa sozinha no mundo...

"Você é tão legal, não seja esse tipo de pessoa..."

Impressionante como existem pessoas que nos marcam profundamente, não é mesmo? E o mais impressionante é que elas fazem isso totalmente sem querer, sem perceber. Elas simplesmente fazem. Esse foi mais um dos casos que eu já presenciei na vida. Infelizmente acredito que perdi a chance de continuar minha caminhada ao lado dessa pessoa incrível, mas ela fez eu abrir meus olhos de uma forma que fazia tempo que não acontecia...

Foi na noite de sábado, quando estávamos conversando e expressando nossas opiniões sobre um tema mega pesado e traumático pra um milhão de pessoas. Se fosse algum tempo atrás, a minha percepção sobre o assunto seria igual à dele, mas infelizmente algumas coisas aconteceram e me mudaram. Disse que eu não seria capaz de fazer isso, mas fui lá e fiz. Aconteceu. Não vou jogar a culpa em outra pessoa que não em mim. Tenho maturidade e vergonha na cara suficientes para assumir os meus erros. Tudo bem, foi mais de uma vez e eu estava consciente do que estava fazendo. Sim. Mas, de novo. Fui eu, e não tiro minha culpa disso. 

Mas o que eu queria realmente deixar expresso aqui não era nada disso. Na verdade, queria só registrar o quanto essa frase me marcou:

"Você é tão legal, não seja esse tipo de pessoa..."

Você provavelmente jamais terá ideia do quanto eu chorei no domingo ao lembrar dessa frase. Ela foi tão sincera, tão crua e tão cruel, que doeu. Mas doeu de um jeito bom. Doeu de um jeito que me fez enxergar a loucura que eu tinha realmente feito. 

Acabamos nos distanciando no domingo de madrugada, depois da fatídica conversa, pois não acho que você me enxergava da mesma forma que antes e acho que jamais me enxergará, ou se é que você sequer lembrou que eu existo durante a semana.... Mas sua frase me fez pensar tanto. tanto. tanto. Em mim. Nos outros. No que eu quero ser. No que eu quero pra mim. No que eu tenho feito pra conseguir o que eu quero. Ao que eu tenho me submetido e o que eu tenho ganhado em troca. Cheguei a (BRILHANTE) conclusão de que essa pessoa não sou eu. E o que me deixou mais chocada em toda a história foi que você soube disso antes de mim mesma. Como pode a gente perder essas pessoas assim? Puf. Perdemos? 

Confesso que não estou sabendo lidar muito bem com isso. Sinto falta das conversas toscas e de falar idiotices que não eram julgadas mal. Sinto falta de alguém me julgando porque eu tinha um gosto meio ruim para comidas e não gostava de comida japonesa. Sinto falta de alguém que tentava me ajudar até quando não tinha o mínimo interesse no assunto, como foi no caso da fazendinha, que ouvia meus áudios com tpm e que me mandava mensagens de cachorros fofinhos pra tentar me fazer sentir melhor.  Que saudade bizarra, não sabia que ia sentir tanto assim não, mas sei que você está bem onde quer que esteja.

E eu espero que você saiba que você é uma pessoa foda. Incrível mesmo. E que você finalmente abriu meus olhos. Serei eternamente grata a você, por mais que você jamais venha a saber disso. Que sua vida seja sempre luz! Que você ilumine tudo por onde passar. E que você encontre alguém MUITO legal pra dividir as alegrias da vida. Eu sempre torcerei por você e guardarei o carinho aqui 💓⭐⭐⭐⭐



Sometimes when I look into you eyes I pretend you're mine, all the damn time...

Eu sempre tive (e tenho) problemas pra lidar com algumas coisas. De longe, a principal coisa que eu tenho mais dificuldade é: me afastar de pessoas que me fazem mal/bem ao mesmo tempo. Eu não pensava que isso pudesse ser possível, mas, eu juro que sim: É POSSÍVEL! 
Antes que isso fique mais confuso, vou explicar o meu ponto de vista: 
Eu separo as pessoas em alguns mega grupos de classificação. O primeiro deles é a diferenciação entre uma boa e uma má pessoa. Nessa mega grupo, a classificação é muito rápida e prática: pessoas más são aquelas que não tem os mesmos princípios e as mesmas crenças que eu tenho: pessoas que roubam, que matam, que semeiam o mal, que traem... Qualquer pessoa que não faça nada do que está listado ai em cima, se classifica automaticamente no grupo "boa pessoa". Com as pessoas que estão no grupo "mal", a tratativa é bem fácil: excluí-las da minha vida. Porta fechada!
Dentro de pessoas "boas", começam as sub-divisões: pessoas boas que as vezes pisam na bola, pessoas boas que as vezes não podemos contar/confiar, pessoas boas que as vezes não temos contato/intimidade... mas, não venham pensando que tudo é somente visto do lado negativo. Existem dentro desse grupo aquelas pessoas boas que nos suportam, que nos entendem, que nos ajudam a ser melhores, que nos inspiram... E é ai que mora o problema:
As vezes temos essas pessoas em tão boa conta com a gente que não enxergamos os pequenos "atos maus" que elas fazem. Parece que nossos olhos se blindam e simplesmente não querem enxergar que essas pessoas não são perfeitas, que elas também tem inseguranças, medos, falta de resoluções na vida.... É nesse momento que a expectativa fala mais alto e as decepções acontecem. 
Eu, intensa do jeito que sou, não sei sentir pela metade. Tudo eu sinto muito: muita alegria ou muita tristeza. Não existe o meio termo. Quando é pro bem, ótimo. A alegria transborda e saímos cantarolando pelos cantos. O problema é quando é pro mal. Quando a tristeza e o desespero batem e parece que nada vai dar certo nunca mais. Que nunca vai aparecer alguém legal que me transborde novamente. Quando a vida fica estranha e parece que falta um pedaço. As vezes, fingir que está tudo bem pesa. Dá vontade de sair correndo e desabafar com alguém, mas a gente segura. Segura. Segura. Segura. E segura de novo. A gente repete que a vida está completa e que nada nos falta. Que estamos sempre felizes. Que não existem dias ruins e que mais cedo ou mais tarde essa coisa ruim vai passar.
O problema é que ela passa e volta. O problema é que ela aparece quando as cicatrizes estão quase curadas. O problema é que ela anda no mesmo corredor e as vezes trombamos com ela sem querer. Sei que temos que aceitar nossa derrota e entender que tem coisas que não são para darem certo. O que me deixa mais brava são as pessoas brincando com os sentimentos alheios, como se não passássemos de um saco de papel inanimado, sem força de vontade, sem desejos, sem expectativas. TEMOS EXPECTATIVAS SIM! E, me desculpe, mas se você não pode, ou não quer atender à essas expectativas, vá embora. Vá embora sem olhar pra trás. Sem parar no corredor com sorrisos fofinhos como se isso fosse curar todos os males do mundo. Sem mandar mensagens de madrugada. Sem ligar no domingo a noite. Sem estacionar o carro na esquina de casa e me perguntar se eu tenho dois minutos. 
Não vejo a hora que a chavinha vire novamente e que toda essa nhaca passe. E, agora, finalmente, entendemos que não tem nada disso de voltar atrás. Acabou. Ok. Acabou. Se for pra voltar, que volte direito. Na verdade, mesmo que for direito, é melhor nem voltar. Fique longe mesmo. Já está mais do que muito provado que não temos nada a ver um com o outro e que nunca daríamos certo juntos....


Hapiness is only real when shared...

Geralmente eu escrevo aqui quando estou triste e deprimida, mas hoje estou me sentindo tão feliz e tão leve que estou passando por aqui também. Temos que valorizar as pequenas coisas boas da vida né? Não podemos focar apenas nas coisas ruins e esquecer dos pequenos milagres que nos acontecem diariamente...
O motivo dessa felicidade toda? Nenhum específico. Só tem dias em que acordamos bem e felizes, com aquela vontade de colocar a nossa roupa mais florida e sair por ai espalhando sorrisos e "bom dias" mesmo sem receber nenhum em troca...  É só aquela sensação de paz interior e de satisfação, aquela percepção de que tudo tem seu tempo e que não adianta forçarmos nada....

Ultimamente, tenho entendido que nosso tempo é precioso demais, mas que também temos que respeitá-lo quando ele nos diz que precisamos ter calma e tirarmos um tempinho pra nós mesmos. E não tem nada de errado nisso. Não tem problema nenhum em querer ficar quietinho, se entendendo e traçando rotas e metas para um futuro próximo. Ou pra um futuro distante. Ou simplesmente não traçar meta nenhuma e deixar que a vida nos surpreenda.
Entendi também que não precisamos de alguém do nosso lado pra nos sentirmos completos. Amigos conseguem nos fazer tão bem quanto qualquer outro tipo de relacionamento. Afinal, não nascemos grudados nem prometidos pra ninguém, não é mesmo?
E melhor do que tudo isso, entendi que não é errado nos entregarmos de corpo e alma pra alguém, mesmo que isso não tenha funcionado tão bem assim.. Pelo menos, fomos sinceros com nossos sentimentos e com os sentimentos da outra pessoa, demos o melhor de nós mesmos e tentamos proporcionar momentos de alegria e companheirismo. Se não quiseram aceitar? Não tem problema nenhum. Não é por isso que o mundo vai parar de funcionar. Não é por isso que você será mais triste. Não é por isso que você nunca mais vai encontrar outra pessoa especial na vida...

E o mais maravilhoso de tudo é que: tudo na vida é passageiro. O que era ontem, já não é mais hoje. A raiva e a tristeza de antes, agora, foram transformadas em aprendizado e lições para serem passadas pra outras pessoas. O que temos que guardar são os bons momentos, as risadas, os abraços, os beijos, os carinhos, o companheirismo e os pequenos detalhes que fazem da vida algo tão incrível e especial.
Temos que entender que essa vida é passageira, que temos que valorizar nossas famílias, nossos amigos, nossos colegas de trabalho e até aquelas pessoas que nem são tão legais assim. Nós nunca sabemos os problemas que elas enfrentam, quais são as suas dificuldades... Na maioria das vezes, simplesmente fechamos os olhos, julgamos (mal) e não tentamos fazer nada pra mudar seus dias... Quando, na verdade, um bom dia, um bombom, uma flor ou um abraço já poderiam ajudar (e MUITO). 

Depois de uma tarde inteira conversando, andando no shopping e dando risada com uma amiga (muitíssimo querida, por sinal), eu vos digo: aproveitem os pequenos momentos da vida, pois ela é finita e nunca sabemos quando ela irá acabar. Não foquem nos pensamentos e nas coisas negativas. Enxerguem sempre o lado positivo e bom das coisas, mesmo que seja difícil. Eu já aviso pra vocês que a vida ficará bem mais tranquila e leve quando todos aprendermos a agirmos assim...

E pra amiga que me aguentou o dia inteiro hoje: obrigada por ter compartilhado tanta coisa comigo. Com toda a certeza você me fez sair do dia de hoje uma pessoa muito melhor e consciente. Amo você <3



In another life, I would make you stay, so I don't have to say you were the one that got away

Férias é sinônimo de aproveitar pra fazer tudo o que você não tem tempo de fazer durante o período de trabalho (por falta de tempo ou por preguiça). Uma das minhas missões nessas férias foi fazer uma limpeza de pele decente. Lá estava eu, deitada na maca, com uma máscara no rosto, quando a esteticista puxou assunto:

- Você namora?

É impressionante como elas parecem saber o assunto que elas não devem puxar, né? Pensei um pouco antes de responder, mas fui sincera:

- Não, não namoro não.

A resposta é sempre a mesma. Impressionante. Parece que as pessoas combinam. 

- Eu não acredito nisso! O que uma menina bonita como você está fazendo sozinha?

Ok. Fico feliz com o elogio, mas será que só existo eu sozinha nesse mundo? Não é possível... Respiro fundo e respondo quase sem pensar:

- Ah, não achei alguém interessante. Sabe quando o santo não bate? Existem muitas pessoas legais, mas o coração não bate mais forte... - terminei a frase com uma careta que queria dizer "eu até tento, mas juro que está difícil..."

A resposta dela foi incrível e me deixou um pouco incrédula:

- Você está esperando alguém perfeito? Você está esperando o príncipe encantado chegar em um cavalo branco e com um buquê de rosas vermelhas na mão? Não existe príncipe encantado não... se você continuar esperando isso, você vai ficar sozinha o resto da vida.

A minha expressão deve ter sido de extremo horror, pois não tive nem tempo de responder e ela continuou a falar:

- Sim, é triste, mas é isso mesmo. Você acha que todos os casais são junções de almas gêmeas que se amam incondicionalmente? Não! Na maioria dos casos, são apenas duas pessoas que suportam a companhia uma da outra e que conseguem conviver bem com os defeitos alheios...

Eu comecei a formular uma resposta pra ela:

- Mas você concorda comigo que isso é uma enganação? Uma perda de tempo? Um gasto exagerado de energia? Nesses casos, é estampado que os relacionamentos não darão certo e que no futuro eles vão se separar... pra que continuar com uma relação que não traz boas perspectivas?

Ela ficou me olhando e puxou outro assunto como se tivesse desistido de conversar comigo sobre aquilo...
Mas eu não sosseguei não. Fico pensando em como duas pessoas podem conviver sem se amarem. Sem aquele frio na barriga. Sem aquela vontade de estarem juntos, de crescerem juntos, de construírem um futuro juntos... Deve ser a coisa mais frustante da vida. Deve ser aquela sensação de que a vida está sem sentido, sem uma perspectiva, sem um rumo...
Fiquei pensando em como as pessoas podem escolher viverem assim. As respostas que eu encontrei foram: 
1) Elas tem medo de terminar as suas relações vazias. Na minha opinião, o maior medo deve ser o de não encontrar outra pessoa e viverem sozinhas. Viver sozinho é um dos maiores medos das pessoas (o que também não faz muito sentido pra mim, mas tudo bem... Como você vai conhecer pessoas diferentes se você está presa a alguma outra?)
2) Elas não tiveram a oportunidade de conhecer alguém que realmente mexesse com os sentimentos delas. Que desse aquele frio na barriga só pelos olhares se encontrarem. Que desse saudade da presença da pessoa depois de 5 minutos de vocês se despedirem. Aquela pessoa que só a presença já é suficiente, mesmo sem falar ou fazer nada. Aquela pessoa que tem o abraço casa, que conforta e que traz paz pra sua alma...
3) Elas não percebem que estão vivendo dessa maneira. Elas simplesmente se acostumaram com a situação e vivem sem pensar sobre os sentimentos...

Espero que essas pessoas entendam que a vida é apenas uma, e que se elas não viverem agora, elas estarão perdendo a parte mais importante: encontrar alguém pra construir uma vida juntos...


(....)

Não gosto do que encanta, arranca o sorriso e depois vai embora. Eu amo sorrisos e risadas sinceras. Eu amo atenção sincera. Não gosto de atrapalhar e não gosto de terem que falar comigo só por obrigação. Peço para que, se for assim, é melhor que nem seja. Que termine logo. Que não continue me encantando. Se for pra dar errado, é melhor que suma, que saia devagarinho, sem fazer barulho, sem causar alarde, sem machucar o coração. 
Mas, se tiver que ser, eu espero o tempo que for preciso. Eu crio paciencia e coragem para encarar o desconhecido. Mas por favor, que seja algo. Que seja ou não seja. Não gosto das coisas inacabadas, das coisas não ditas, dos sonhos não concretizados. Se gosta, por favor, fale. Se não gosta, por favor, fale...

É bom ficar distante e ver você vivendo a sua vida sem a minha presença. No começo doeu, eu tenho que confessar... mas agora está mais leve, e eu finalmente entendi que mesmo que não tenha dado certo, isso não quer dizer que não tenha sido especial do nosso modo particular. Eu continuo escrevendo porque você ainda conversa comigo as vezes e quando isso acontece, as feridas se abrem um pouquinho. Fique despreocupado que elas estão secando. A casquinha já está quase toda formada. Depois, é só esperar pra cicatrizar totalmente. 
Até se abrirem novamente. Por outra pessoa, espero. Por alguém que toque meu coração da forma como você tocou. Por alguém que chacoalhe a minha vida do jeito que você fez. Por alguém que me provoque arrepios e frios na barriga só por nossos olhares se encontrarem. Por alguém que tenha essa sensibilidade que você tinha e não foi capaz de utilizar da forma correta...
Por outro lado, espero que você consiga se desprender dessas amarras que te prendem a essa relação obrigatória e abusiva. Que você entenda que sua felicidade é o mais importante, e que ninguém vai te consolar quando você errar pela primeira vez, apesar de todas as milhões de coisas corretas que você fez antes. 


Estou conhecendo gente nova. Conhecendo lugares novos. Conhecendo sensações nunca antes experimentadas. Arriscando. Me entregando. Vivendo. E a sensação no final disso tudo? Felicidade. Aquela plena sabe? Que faz a gente ter esperança na vida de novo. Que da vontade de viver e compartilhar isso tudo com alguém. O alguém está batendo na porta. Eu? Estou com a porta encostada, prontinha pra ser aberta pra felicidade finalmente entrar.....